Buscar
  • Henne Danif

CONTRATA-SE




Papai Hennão está na área.

E o post de hoje versará sobre alguns pontos que você não pode deixar de lado na hora de contratar pessoal para sua empresa.

Uma coisa é certa: os funcionários são o grande trunfo que pode diferenciar o seu empreendimento no universo corporativo, que é extremamente competitivo.

A pessoa ideal para a função certa pode ser, no começo, impossível de contratar. Nesse caso, você pode pensar em propor uma sociedade. EXCLUSIVO!


Quando uma empresa sedimenta seu sucesso em GENTE, ela se coloca em uma posição muito vantajosa.

  • Vantagens competitivas baseadas em gente são difíceis de copiar, são difíceis de transferir e não podem ser compradas.

  • A empresa que investe em gente produz vantagem competitiva de modo constante, permanente, e está sempre revitalizada e arejada.


“Organizações que engajam de corpo e alma provocam as pessoas a perceber que vivem uma causa significativa — mais do que uma simples relação de emprego e trabalho. Seus líderes esforçam-se para viver esta causa todos os dias e para inspirar os demais em torno dela, apoiando seus times – e os demais stakeholders – a enxergarem como podem contribuir para esta causa. Os talentos das pessoas são colocados a serviço dessa causa, gerando nos indivíduos a percepção de que estão comprometidos com algo maior do que eles.”


Rogério Chér, sócio da Empreender Vida e Carreira e autor do livro Empreendedorismo na Veia: um aprendizado constante


SUA CARA-METADE


Quando você, o líder, sente que lhe falta alguma competência, é normal que busque um parceiro detentor das habilidades que complementariam a gestão da sua empresa.

Por exemplo, se você tem conhecimento técnico, mas não sabe vender, então vai querer um sócio com aptidões sociais e talento para vendas.

A escolha de um sócio deve se basear em dois princípios, que devem estar obrigatoriamente juntos:

  • Aliar pessoas com talentos e habilidades complementares

  • Fazer uma escolha baseada em valores, interesses e expectativas

O sócio ajuda a vender o sonho. É um catalisador, e ainda divide o investimento com você.

Os custos com recursos humanos diminuem quando os sócios podem trabalhar no negócio.

Quando é impossível pagar o funcionário desejado, pode ser conveniente propor-lhe uma sociedade.


MAS ATENTE-SE ÀS SEGUINTES QUESTÕES:

  • Preciso mesmo de mais uma pessoa?

  • O negócio permite mais sócios?

  • O que cada sócio vai trazer de investimentos?

  • O que move cada um dos sócios?

Fique ligado, meu fiiii! Caso opte por ter um ou mais sócios, comece a conversa definindo o papel e a remuneração de cada um.


Este conteúdo foi baseado no e-book 5 passos para construir uma grande equipe, da Endeavor Brasil.

Compartilhe com um amigo empreendedor!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo