Buscar
  • Henne Danif

Mais um cadim deVESTING E CLIFF




Aqui estou eu de volta, com mais um conteúdo que complementa a descrição dessas ferramentas que são um trem de doido: vesting e cliff.

Juntas, elas compõem um importante mecanismo para incentivar a dedicação e o empenho dos funcionários.

A prosa é boa, então, apruma o corpo e leia até o fim. Certamente, você sairá de casa um pouco mais sábio e mais apto a gerenciar sua equipe.

Enquanto isso, eu vou tomar meu cafezim, comer um pãozim de queijo e mexer com um troço que eu gosto demais da conta: business!

Inté!


UM BOM MINEIRO TÁ SEMPRE DESCONFIADO!

Você não deve ceder parte do seu empreendimento a qualquer um que queira.

Faça isso somente com funcionários em cuja competência e caráter você confie plenamente!

Geralmente, vesting e cliff compõem uma modalidade contratual proposta a um funcionário chave, ou seja, aquele que domina o conhecimento de uma área muito específica e estratégica para o negócio.

Uma vez instituídas, essas cláusulas dão condições para que o funcionário tenha participação futura na empresa.


MIÓ DO QUE DINHEIRO!

Ao se dividir uma fração da empresa com um colaborador, é de se esperar que o ele se esforce e se dedique mais. Afinal, o sucesso do empreendimento também é o seu próprio sucesso.

Muitas vezes, a sensação de fazer parte de uma organização gera mais satisfação do que receber o pagamento.

Por isso, é comum que as cláusulas vesting e cliff nos contratos de trabalho sejam um diferencial na negociação dos salários.



Isso é especialmente útil nas ocasiões em que a startup inicia seu projeto com recursos financeiros limitados, o que dificulta a contratação de pessoal qualificado.

O uso do contrato de vesting, possibilita à empresa, portanto, oferecer um salário inferior ao de mercado.



FICA ESPERTO, SÔ!

É fundamental manter alguns cuidados com o uso dos contratos com cláusulas de vesting e cliff.

  • A possibilidade de aquisição de ações não pode ser considerada, objetivamente, como forma de pagamento. Isso poderia gerar discussões na esfera trabalhista, quanto a reflexos trabalhistas da aquisição de quotas.

  • O contrato também não pode deixar margem para que a cessão de ações seja interpretada como doação. Isso poderia acarretar o pagamento do Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD).



É IMPORTANTE CERCAR TODAS AS POSSIBILIDADES


Todas as situações e riscos precisam estar previstas em contrato, para que não surjam dúvidas quanto às contrapartidas durante o andamento da empresa, nem polêmicas em caso de rompimento da sociedade.

A estrutura jurídica serve para planejar o futuro da companhia e proporcionar segurança para o seu negócio e para os sócios quotistas.



Esse conteúdo foi extraído dos portais comoinvestir.thecap.com.br e veritasjuridico.com.

Compartilha com um amigo empreendedor.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo